quinta-feira, 29 de julho de 2010

Cem mentiras valendo uma verdade!

Eu sou tão convincente que chego a acreditar em mim mesma!
Minha mãe conta que desde criança, eu tenho o dom da atuação (será que isso é bom?) ela conta que eu nunca suportei fazer algo que eu não quisesse, ou que não gostasse, e sempre havia uma bela desculpa para não fazer.
Eu odiava aquelas crianças teletubies (de novo de novo) que você havia dado fim á uma brincadeira e ela imendava outra, sem ao menos perguntar se você queria, e quando perguntava era algo aterrorizante, onde você ouvia repetidas vezes a voz irritante dizer "vamos brincar ?" ... quando isso acontecia, eu conseguia me livrar, batendo na criança e fazendo aquela carinha doce
*-*
"porque você esta chorando???"

Na escolinha era algo realmente digno de aplausos. Eu adorava estudar, sempre fui uma criança nerd, e amante das artes (duplo sentido mode on) ir para a escola sempre foi algo que me divertiu, até chegar na 1° série. Não me recordo exatamente o porque, mas tinha um garotinho na sala de aula que muito me incomodava. E eu, nunca suportei incomodo algum. Então, eu fingia passar mal todos os dias em que não estava afim de ser incomodada pela tal criança na escola, e eu atuava tão bem, que até eu mesma acreditava estar passando mal!!! Até eu aprender a vomitar propositalmente, e chorar de maneira expontânea, eu me virava muito bem, depois disso, eu convencia até Deus de que aquilo era real.
Depois de grandinha, ainda deixei em ON essa minha habilidade de evitar o desagradável...mas já era algo mais exaustivo, mais dramático. Enganar o primeiro namorado todos os dias, era realmente desgastante. Lembro que meu primeiro namorado era alguém que de inicio eu não gostava, e me incomodava sair com ele, eu era novinha, tinha meus 14 anos, mas já sabia que sair sozinha era mais divertido. Então, eu confabulava algum plano maquiavélico com minha melhor amiga, e fugiamos a noite! Até que uma vez, fomos num festival de inverno, estilo quermesse, e quando eu estava me divertidno vi que ele estava no local, e pela expressão perdida, me procurando. Eu não raciocinei com perfeição e me escondi atrás de um poste! Óbviamente ele viu, e foi ao meu encontro (eu no lugar dele não iria) seria uma burrice amena se ele fosse lá e nada comentasse, mas ainda por cima me perguntou "você está me evitando?" ... me obrigando a atuar outra vez...dizer entre lágrimas que eu nunca faria isso com o amor da minha vida =D.
(sim caros expectadores, eu era uma menina má)
Foram muitas aventuras nos arredores da minha imaginação, criando e dirigindo cenas ao dia-dia...a mais dificil delas, foi no meu primeiro porre, aos 16 anos .. sai da sala de aula com uns amigos e bebemos muita coisa, dentre elas uma garrafa de 51 com limão. Eu cai, (nem era preciso citar isso, é óbvio) Lembro pouca coisa desse dia, mas lembro que andamos pelo centro da cidade, até uma praça, e eu fui subir no acento do banco da praça, cai e juro que devo ter ficado caida lá por pelo menos 30 minutos! Meus amigos não estavam bons o bastante para me erguer; Um primo meu me achou, chamou um amigo dele para me socorrer, e eu vomitei nesse amigo dele até chegar em casa! Quando cheguei vi que meu rosto estava ralado, com uma ferida GIGANTE que não iria ser nada discreta aos olhares alheios. Na manhã seguinte, lá estava meu pai, ao pé da cama dando um "chero" nas minhas roupas !!! Eu ja abri os olhos chorando "paaaaaai colocaram algo no meu suco na escola!!! eu fui andar de skate fiquei tonta e cai na descida ingríme da escola, aquela rua, perigosa demais!!!"
E essa, foi a primeira vez que eu descobri, que nem todas as vezes minha boa atuação salvaria minha pele, e que poderia me custar caro cada vez que me pegassem "no pulo"!!!
Por isso hoje sou sincera demais, e mantenho a hipocrisia longe da minha alma, se algo me incomoda, eu ainda como era na infância, não faço, mas agora sem as desculpas cênicas, hoje eu digo exatamente o porque não faria algo, mesmo que me leve a receber olhares contraditórios! Acho que ninguém deveria fazer algo para parecer legal , se isso não fosse de seu próprio agrado, eu não busco agradar ninguém que não tenha a capacidade de se contentar exatamente com o que eu sou, e o que os outros vão pensar?
Isso não é problema meu.
A vida é uma grande piada, onde você se priva de rir de certas coisas por medo de Deus te castigar, sendo que Deus sendo o inventor de tudo, é o inventor da piada. Acredite, ele deve rir das coisas tanto quanto você ;)
*hoje eu almocei com meu melhor amigo Dione, ele me desviou do caminho da loja de celulares, e me deu felicidade hidropônica..eu simplesmente esqueci até mesmo o caminho de casa. Mas, garantiu muitos risos pra nossa tarde!*
#felicidade é um fim de tarde olhando o mar, e a gravidade não te impede de voar *...hidropônica,forfun.

Um comentário:

L.E.A.L ALTERNATIVE LIVE!! disse...

Uou!! eu olhei o texto e pencei "caraca q grande" mas sempre leio tudo duas vezes não me permito deixar escapar nada, cada vez é sempre a ultima (^^) sheaskeapere dizia que um ator mente pra dizer a verdade, você mentia pra emcubri-la; tem um termo que define o começo em uma palavra "PLACEBO". Felicidade é uma tarde olhando o mar ?? mais Placebo pra alimentar as traças, Poucas são as pessoas que entendem essa definição, espero que entenda e a concidere como um abraço, se não podemos discultir (^^) dois lados uma moeda!