quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O ano é novo, as deficiências não;

Contagem regressiva em qualquer canto do mundo,
num morro pobre ou num clube fechado para convidados;
O espetáculo de cores e luzes começa;
O êxtase.
As diferenças ficam de lado, o ego se abate
tudo em prol da felicidade instântanea de todos os povos.
As pessoas sorriem umas para as outras, se abraçam e desejam votos de alegria.
Os sorrisos aumentam
As garrafas estouram em sinfonia com as gargalhadas
Os abraços ficam intensos.
A hipocrisia fica ainda mais intensa;
Agora, não tem mais nada brilhando no céu;
e nenhuma taça borbulhate nas suas mãos.
E o que você tem?
Somente você para si mesmo;
E será que é bom para si mesmo?
Sinto em dizer, que se foi um dos hipocritas abraçando e desejando felicidades a quem não lhe cabe, a resposta é não.
A sinceridade, acima de tudo, é o que torna as pessoas boas para si mesmas.

Um comentário:

Glaucon disse...

Na real é isso, única coisa que importa nessa vida é ser fiel a si mesmo. Manter de alguma forma a nossa integridade... e realmente Alice já presenciei verdadeiros "banquetes de hipócritas" nesses fins de ano... agora que já percebo mais facilmente o q na real transparece nas pessoas, já consigo evitar o previsível.